Neste espaço colaborativo e de distribuição de conhecimento sua presença é fundamental. Aqui compartilho com você estudos, informações, crenças e busco somar esforços com todos e todas que concebem com responsabilidade a desafiante tarefa de educar na sociedade atual

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Fique linkado no OLHAR DIGITAL

Através do aplicativo Torrents – Assistir a vídeos no computador já é uma tarefa rotineira. De acordo com vídeo anunciado pelo Olhar digital. Acredito que isto indica mens audiência pelas TVs e quem sabe TV a cabo e antenas poderão sair de circulação???a substiutição??. Na opinião de muitos, é bem mais cômodo baixar as séries de TV no PC do que esperá-las passar na TV. É... parece coisa longe... porque de fato é distante da maioria. Mas é inegável que a velocidade com que novas interfaces vão surgindo isto também vai sendo um componente que contribui para a hesitação dos educadores e de muitas outras profissões em aproximarem-se delas, pois há um tempo despendido para compreender sua lógica e destrinchar por assim dizer suas funcionalidades. É preciso apostar na qualidade desta relação, sermos críticos diante do processo para que o caminho das pedras possa ser trilhado com menos aridez e sinuosidade.

domingo, 30 de agosto de 2009

Crie Mapas Mentais... sua cabeça vai longe...

Hoje me peguei fazendo um mapa conceitual da minha Árvore de aprendizagens desde a graduação até aqui e tive uma imensa satisfação de perceber a trajetória de realização de convivência com o ensino e aprendizagem neste processo chamado "VIDA HUMANA". Resolvi usar uma ferramenta que gosto muito chamada FREEMIND. Ah... sobre os Mapas mentais ou conceituais este são muito utilizados por profissionais de todas as áreas de conhecimento humano. São diagramas que funcionam como uma representação gráfica de como as idéias se organizam em torno de um determinado tema, assunto, conhecimento. Existem programas que são excelentes para esta realização, dentre eles destaca-se o FreeMind que é gratuíto e nos auxilia a liberar a mente e a externar todas as idéias que passam pela cabeça. Projetos, pensamentos, tarefas, histórias e qualquer outra coisa que tivermos vontade e no mais é só pesquisar. Tudo isso fica representado em um mapa claro e bonito, ou seja num Mapa Mental. Com FreeMind é possível usar cores diferentes, ícones, bordas personalizadas, linhas e o que mais desejarmos para tornar o diagrama mais esclarecedor. Além disso, conta com marcações específicas para diferentes etapas das idéias. Então, se quiser experimentar faça o download e mãos a obra porque o FreeMind é muito útil como ferramenta de aprendizagem, sistematização de ideías e no auxílio da gestão estratégica de uma empresa ou negócio. Comece brincando e descubra o valor do mapa conceitual. O FreeMind também serve para se divertir e entender melhor como as idéias sobre determinado conteúdo se processam. O FreeMind é uma ferramenta que atende os seguintes formatos:Exporta para os formatos HTML, JPG, PDF, PNG, SVG, Flash e Applet Java.Requisitos mínimos para FreeMind: Sistema: Win95/98/98SE/Me/2000/NT/XP Requisitos mínimos: Memória: 512 MB
Java Runtime Environment 1.4

sábado, 29 de agosto de 2009

Web Currículo: integração das TICs ao currículo

O Portal Educarede traz um vídeo com questões importantes sobre a incorporação das Tecnologias da Informação e da Comunicação na escola e prática docente. Questões tais: Como integrar efetivamente as tecnologias de informação e comunicação (TICs) ao currículo escolar? Basta introduzir o computador na escola e/ou disponibilizar materiais didáticos na Internet? Com certeza, não. O tema é complexo e, para discuti-lo, pesquisadores da Faculdade de Educação da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) conceberam o termo "Web Currículo". A proposta tem como objetivo “entender que currículo é esse que se desenvolve por meio das tecnologias e que é estruturado por elas”, explica a professora da PUC-SP Maria Elizabeth de Almeida. “Quando a tecnologia é um instrumento de mediatização, ela é estruturante do currículo, ela não é neutra, porque ela não é apenas um suporte, é linguagem. E mais, para a tecnologia digital convergem diferentes linguagens”, completa a professora. Eu que atuo neste viés de apropriação compreendendo o computador e a internet como vias de mediação compartilho destas reflexões e a vejo realmente como um grande desafio aos que se dedicam ao trabalho cotidiano de educar. Vale a pena conferir http://www.educarede.org.br/educa/index.cfm?pg=internet_e_cia.informatica_principal&id_inf_escola=791

Olá que boa notícia! Linke-se também

Fiquei quase dez dias sem blogar... saudades de vocês que participam deste espaço social interativo com suas mensagens,comentários, colaboração e visitas. Andei tão ocupada com as bancas de orientandos na UEPB, com a minha Web Rádio e as aulas que considero encontros de aprendizagem com os graduandos do periodo 2009.2 que precisei de uma pausa Virtual. Mas é bem dificil... Mas como os campeões de audiência na Internet são os programas que propiciam as redes de relacionamento e distribuição de conhecimento, tenho compromissos pessoais que aglutino em torno do viés profissional e eis -me aqui... então setembro vem ai e não podemos ficar de fora: A Hipertextus Revista Digital, editada pelo Núcleo de Hipertexto e Tecnologia Educacional da Universidade Federal de Pernambuco (NEHTE/UFPE), recebe, até o próximo mês de setembro, resenhas e artigos científicos para o seu quarto volume. Estudantes, profissionais e pesquisadores devem enviar trabalhos relacionados a temáticas de estudos do hipertexto e das tecnologias aplicadas à educação. As normas de publicação estão disponíveis no endereço eletrônico http://www.hipertextus.net/normas.html Tags: hipertexto, nehte, ufpe .

Vamos nessa??

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Interagindo através da WEB RÁDIO LÚCIA SERAFIM


Hoje fiz meu 2º programa através da WEB RÁDIO LÚCIA SERAFIM http://luciaserafim.youstream.fm/.
É uma experiência que me despertou muita paixão, pois acredito que as pessoas geralmente tendem a se apaixonar por aquilo em que se dão bem, desenvolvendo uma habilidade especial naquilo. Então estou trabalhando esta minha paixão. Tratei neste 2º programa da semana sobre alguns aspectos do livro HOMO ZAPPIENS no tocante a questão do que as escolas poderiam fazer para reconhecer as habilidades e estratégias que o Homo Zappiens está desenvolvendo principalmente fora da escola, quando as escolas deveriam responder de acordo com as necessidades desta nova geração. A audiência deste 2º programa foi muito boa. Pude permenecer conectada ao MSN e assim interagir com os ouvintes, meus alunos da graduação em computação e pedagogia e amigos de Fortaleza e dos municipios de Fagundes e São João do Cariri aqui na Paraíba. O tema tratado e a seleção musical foram bem elogiados e eu estou cheia de garra para a proxima edição que será dia 20 de agosto de 2009 as 22 horas e 30, quando estarei ainda tratando deste assunto. Conto com mais audiência.

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Dialogando sobre REDES SOCIAIS






O que é???? Vamos conversar sobre???

De modo geral, uma rede social online é um grupo de pessoas reunidas na Internet a partir de interesses semelhantes. Não importa por meio de qual ferramenta se reúnem. Elas podem dialogar por meio de um blog, da troca de e-mails, do Twitter, de uma lista de discussão, de um ambiente próprio para abrigar agrupamentos, etc. Nestes, são fundamentais as interações, base para a estrutura, organização e dinâmica de sistemas como as redes sociais (RECUERO, 2005). Uma rede social online, portanto, existe enquanto seus participantes dialogam. Uma omunidade virtual é uma rede social online, mas na comunidade, o diálogo e a colaboração entre as pessoas são mais freqüentes, sistematizados, gerando um grau de comprometimento e responsabilidade entre elas. Como afirma Carvalho ( 2009) a intensidade nas relações, portanto, seria o elemento distintivo entre as redes e as comunidades virtuais. Tanto em rede quanto em comunidade, as pessoas aprendem umas com as outras, compartilhando informações, estudos, desafios, conquistas, descobertas. Esses agrupamentos podem constituirem-se em fontes para a atualização profissional, retomada de práticas, qualificação da prática, resolução de problemas, e assim vão propiciando prazer e variadas aprendizagens no ato de dialogar com alguém que pode entendê-lo, colaborar e ajudá-lo ous eja vivenciar aspectos da cooperação. Nas redes e comunidades virtuais, o educador se alimenta de novidades e de outras práticas para melhorar a sua ação de educar. Freire (1996) nos lembra que aprendendo socialmente se descobre que é possível ensinar. Historicamente, aprende-se a trabalhar maneiras, caminhos e métodos de ensino. Portanto, “ensinar inexiste sem aprender e vice-versa” (Pedagogia da autonomia, 1996, p. 23).

CONVIDO VOCÊ A PARTICIPAR DESTA DISCUSSÃO PELA MINHA REDE SOCIAL NO GT "rede sociais" no endereço http://educarnaeradigital.ning.com/profile/MariaLuciaSerafim

domingo, 16 de agosto de 2009

TWITTER - Veja este Livro com 110 páginas

Acabou de ser lançado um Livro sobre o TWITTER.
O que as escolas e os professores podem fazer com tudo isso?

Título: Tudo o que você precisa saber sobre o Twitter (você já aprendeu em uma mesa de bar)
Criação: Talk Interactive Páginas: 110 - Licença: Creative Commons
Classificação: Twitter, redes sociais, Web, comunicação, tecnologia. Para baixar este livro vá em: http://guiadotwitter.talk2.com.br/arquivos/Manual_Twitter_6_MB.pdf

O que é Twitter? Para que serve? Por que todo mundo só fala nele? Como fazer parte da tuitosfera? Todos nós estamos nos perguntando. Então, dúvidas que muita gente tem, mas não sabia para quem perguntar, podem ser respondidas consultando e lendo o primeiro guia online sobre a ferramenta. “Tudo o que você precisa saber sobre Twitter (você já aprendeu em uma mesa de bar)” foi lançado pela Talk Interactive nesta segunda-feira passada 10/08.09 por meio do Twitter, é claro. O conteúdo ficará disponível na Internet sob licença Creative Commons, permitindo que qualquer pessoa leia, repasse e ajude a atualizar o livro colaborativamente. Com 46 capítulos, o livro é dividido em três categorias: Tudo o que você precisa saber; Negócios, jornalismo e política; Uso avançado do Twitter. Trata-se de um manual prático com orientações sobre como encontrar pessoas, o que é seguir e ser seguido e como o serviço pode ser utilizado de forma simples e eficiente. “O Twitter está crescendo muito no Brasil. Cada vez mais, novos usuários entram nesta rede, aumentando assim creio eu sua relevância. Mas as dúvidas sobre o Twitter ainda são muitas. Por isso tivemos a idéia de produzir um manual prático. O material vai ajudar muita gente”, diz Luiz Alberto Ferla (@ferla), CEO (Chief Executive Officer) da Talk Interactive.

Retirei este trecho do Portal Educarede onde Ferla se manifesta sobre o livro e diz que o conteúdo tem importantes dicas para quem deseja utilizar a ferramenta para fins corporativos e até para ações em campanhas políticas. “O livro vai do básico ao avançado, abrangendo todos os níveis de conhecimento a respeito da ferramenta”. Já Juliano Spyer (@jasper), redator da obra e integrante do time da Talk diz que “É difícil explicar o que é o Twitter para alguém com noções básicas de uso da Web. Você pode, por aproximação, dizer que é uma mistura de blog e MSN ou pode ser específico e falar que é uma ferramenta para micro-blogagem baseada em uma estrutura assimétrica de contatos, no compartilhamento de links e na possibilidade de busca em tempo real, mas dificilmente isso convencerá o seu interlocutor a usar o serviço”.

Então pessoal vamos a esta leitura e discussão em nossas redes sociais. Convido você a participar da minha que já tem um grupo sobre o tema REDES SOCIAIS.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Questões relativas ao cyberbullying

É sempre um desafio todos os dias. Acompanhando o excelente Portal Educarede trouxe de lá alguns pontos para esta reflexão sobre questões relativas ao cyberbullying e as agrego aqui, certa de que nosso papel junto as crinças e jovens neste contexto de Tecnologias digitais e Internet é que o princípio de sua relevância vai além de oferecer o conteúdo, é preciso que nos preocupemos com o conteúdo apropriado para conexão que produzam nos alunos, nossa juventude uma educação humana, nesta condição de que tanto vivem estes dainte de jogos, horas na Net, criações individuais e coletivas o desafio também é maior para os adultos, para famílias e os educadores que então, devem prepararem-se para ir além de oferecer relevância nos métodos de ensino e avaliação.

No ano de 2008 graças à pesquisa realizada – A Geração Interativa na Ibero–américa –, pesquisadores da Universidade de Navarra (Espanha) elaboraram um estudo específico sobre o fenômeno do cyberbullying a partir de uma perspectiva internacional em uma amostra de 20.941 pré–adolescentes e adolescentes dos seguintes países: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México, Peru e Venezuela.
Traços que marcam a diferença entre bullying e cyberbullying

1. Amplitude do público potencial: quando alguém posta uma foto ou um vídeo com a intenção de ferir uma pessoa, o público-alvo desse material pode ser muito grande. Na agressão tradicional, os espectadores das agressões eram grupos menores.

2. Invisibilidade ou anonimato: a agressão digital não é necessariamente feita cara a cara perante a vítima. Portanto, o agressor pode se sentir menos culpado e, inclusive, ignorar ou não tomar consciência das consequências causadas por suas ações. Sem resposta direta a seus atos, pode haver menos oportunidade para o remorso e para a intervenção ou solução do problema.

3. Em qualquer lugar e em qualquer momento: a mobilidade e a conectividade das novas tecnologias da comunicação permitem ultrapassar os limites temporais e físicos que marcavam a agressão na escola. Como se disse, o lar já não é um refúgio, tampouco os fins de semana e as férias.

4. Perene: o conteúdo digital usado na agressão armazena-se nos sistemas eletrônicos e não se perde.

5. Rapidez e comodidade: as novas tecnologias permitem que o cyberbullying se dissemine muito mais rápido, bem como seja mantido facilmente: cortar e colar mensagens; reenviar SMS a grupos, etc.

6. A força física ou o tamanho não afetam: como consequência do anonimato, os agressores digitais não têm que ser mais fortes fisicamente do que suas vítimas.

7. O agressor não marginal: no bullying, os agressores costumam ter relações ruins com os professores, ao passo que os agressores digitais podem ter boas relações com eles.

Tipos de violência verbal e escrita através das novas tecnologias

1. Flaming: envio de mensagens vulgares ou que mostram hostilidade para com uma pessoa a um grupo online ou à própria pessoa via e-mail ou mensagem de texto (SMS).

2. Agressão online: envio repetido de mensagens ofensivas via e-mail ou SMS a uma pessoa.

3. Cyberstalking: agressão online que inclui ameaças de dano ou intimidação excessiva.

4. Difamação: envios de mensagens prejudiciais, falsas e cruéis afirmações sobre uma pessoa a outras ou comentários em lugares online.

5. Substituição ilegal da pessoa: fazer-se passar pela vítima e enviar ou postar arquivos de texto, vídeo ou imagem que difamem o agredido.

6. Outing: enviar ou postar material sobre uma pessoa contendo informação sensível, privada ou constrangedora, incluídas respostas de mensagens privadas ou imagens.

7. Exclusão: cruel expulsão de alguém de um grupo online.


As conclusões mais representativas do estudo


O estudo reflete sobre a agressão digital com o uso dos seguintes meios: 1) mensagens de texto (SMS), imagens, vídeo através do celular; 2) Messenger; e 3) jogos na rede. Também são examinados as diferenças por sexo. A partir de uma análise comparativa entre os estudantes dos sete países investigados, as conclusões mais representativas foram:

• No total, 12,1% experimentaram alguma forma de cyberbullying. Dado similar ao apresentado pelos estudantes norte-americanos (Lenhart, 2007) e suecos (Slonje y Smith, 2008).

• O celular mostrou ser a ferramenta mais utilizada para a agressão: 13,3% reconhecem ter prejudicado alguém com o telefone móvel.

• Os dados permitem supor que o agressor digital é um papel desempenhado mais pelo sexo masculino.

• As pesquisas sobre este novo fenômeno devem ser aprofundadas para se entender e compreender: 1) o papel que desempenham as novas tecnologias nas vidas dos estudantes e as diversas formas de violência digital; 2) o dano físico e psíquico do cyberbullying; 3) o perigo de sua natureza anônima, rápida difusão e alcance. Entender e conhecer permitirá resolver com acerto este tipo de violência, bem como perder o medo do uso das novas telas de comunicação (Diamanduros, Downs y Jenkins, 2008).

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Olá amigos seguidores e blogueiros.
Em meio a tanto trabalho, descobertas, amizades, oração e estudos rumo ao doutorado que sonho alcançar, e nesta semana bem especial em que se vive desde o dia 9 e se estende até o dia 15 a Semana Nacional da Família " Família, Igreja doméstica, caminho para o discipulado" Pastoral para a vida - CNBB, me vi compartilhando dia 10.08 na minha paróquia a minha história de fé e convívio com a oração meditação. Somando-me as famílias presentes e oferecendo a Deus meu depoimento de oração e vida, senti -me movida por imensas emoções e lembranças da minhas família do Pai e da mãe que tive e que hoje tudo que plantaram em mim como semente que fui germina hoje na pessoa educadora e gente que sou. Por estas emoções que vivo utilizo desde meu espaço que é seu, porque se faz espaço de convivialidade compartilho a minhaa oração em forma de vida... Minhas Imagens minha História... e escrevi
Poemas são eternos
Poemas não morrem
e fotos se eternizam em palavras
Na história de quem as vive.
A minha história é eterna e viva aos olhos de minha transformção,
nela Me perpetuo
Sou não sei ainda se sou poeta em palavras
mas sei que sou sou poeta em ações
Em versos que eu crio
no cotidiano da minha luta... ah não desconfieim... sejam crédulos...
Sou educadora, amante da vida convicta da responsabilidade que sei é grande
Convicta do meu inacabadamento...
Escrevo Minha história em minha luta todos os dias
vida que pelos atos e pela própria vida transformo em poesia, é vida, é sorriso, é fraqueza, é oração, é descoberta, é Amor.
Transformo em poesia o que vivo, mesmo na rigidez de certos dias,
mesmo na dor de cada dia,
Transformo em poesia
o desejo de ver a vida justamente vivida para mim e para todos... qualidade para todos
Poesia e vida para todos todo o dia
minhas palavras
E asssim Me perpetuo
Pois só assim sei que não sei mas faço
e a vida e a poesia juntas são assim
a própriaEternidade do que aqui e agora se eternizam.
( Escrevi hoje as 17h e 17 minutos antes de ir para a sala de aula na UEPB)
Lucinha Serafim

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Fique linkado neste I Colóquio aqui em Campina Grande




Oi pessoal vejam neste Blog http://nupecij.blogspot.com/ informações sobre o I Colóquio Nacional Estudos Interdisciplinares sobre Infância e Juventude. Estarei na coordenação do GT03. Vejam todos eles:

Gt1 – Infância, Juventude e TrabalhoCoordenação:Profa. MSc.Terçalia Suassuna (UEPB)Profa. Maria Tejo (UEPB)

Gt 2 - Juventude, representações, educação e diversidades culturais na contemporaneidadeCoordenação:Profa. Dra. Maria Aparecida Barbosa Carneiro (UEPB)Profa. Dra. Maria Lindaci Gomes de Souza (UEPB)Profa. Dra. Patrícia Cristina de Aragão Araújo (UEPB)

Gt 3. Práticas midiáticas, juventude e Novas TecnologiasCoordenação:Profa. Dra. Robéria Nádia Araújo Nascimento (UEPB)Profa. Ms. Maria Lúcia Serafim(UEPB)

Gt 4 . Juventude e Movimentos Estudantis ontem e hojeCoordenação: Prof. MSc.Otávio Luiz Machado (Pesquisador do NEEPD/UFPE)

Gt 5. Infância, Juventude, Literatura e Inclusão SocialCoordenação:Profas. Dra. Ligia Pereira dos SantosProfa. MSc.Maria do Socorro Moura Montenegro (UEPB)

Gt 6. Infância e ViolênciaCoordenação:Profa. MSc. Maria do Socorro A. de Carvalho Sá (Doutoranda em Serviço Social)Profa. MSc. Célia de Castro (UEPB)

Gt 7. Educação popular no enfrentamento da violência juvenilCoordenação:Profa. MSc. Roseane Cavalcanti da Cunha (UEPB)Gt 8. Direito da infância e adolescênciaCoordenação:Prof. Dr. Erivaldo Moreira Barbosa (UFCG)

Participem!!!! Será aqui na bela cidade de Campina Grande no período de 28 a 30 de setembro de 2009, no Centro de Educação - CEDUC -As inscrições continuam abertas.

Fazendo e repaginando o USO DO VÍDEO - através do MOVIE MAKER

Quando concluí minha especialização em Novas Tecnologias na Educação em 2008 tratei sobre "O uso do Vídeo Digital como possibilidade da Multimídia na prática docente envolvendo conteúdos escolares" e escolhi para condensação dos artefatos construídos ou seja os vídeos a interface do Movie Maker, potente e simples software que já vem no Windows desde 2000. Bastante utilizado para vídeos caseiros por crianças e jovens, mas desconhecido em parte pelos educadores e como possível mediação na prática pedagógica docente nas disciplinas ensinadas nos conteúdos escolares. Trago autores como Mayer (2005) que trata da aprendizagem multimídia em sua pesquisa a define como aprendizagem das palavras (por exemplo, texto falado ou impresso) e imagens (por exemplo, ilustrações, fotografias, mapas, gráficos, imagem ou vídeo; Lévy (1993, p.177) ao conceber a interface na informática afirmando que “não é possível deduzir nenhum efeito social ou cultural da informatização, baseando-se em uma definição pretensamente estável dos autômatos digitais. Basta que seja conectada uma nova interface (a tela catódica, o mouse, uma nova linguagem de programação, uma redução de tamanho) à rede de interfaces que constitui o computador no instante t, e no instante t+1 se terá obtido um outro coletivo, uma outra sociedade de microdispositivos, que entrará em novos arranjos sociotécnicos, mediatizará outras relações,etc.”; Também cito Ivers e Baron (2006) que apresentam em sua obra experiências de professores entusiasmados em engajarem seus alunos em aprendizagens ativas, onde alunos e professores se divertem quando chegam a escola. Os autores Schuck e Kearney (2004), realizarem investigação nas áreas da aprendizagem cooperativa, múltiplas inteligências e construtivismo em artigo sobre o uso e o papel do vídeo digital como uma ferramenta de pesquisa: Questões Éticas do Investigador. Foram estudos de caso de cinco escolas na Austrália, convidadas por usarem vídeo digital como meio inovador com seus alunos. Os investigadores exploraram os processos e os papeis dos professores e alunos no trabalho com vídeo digital nestas escolas. Para realizarem os estudos visitaram as escolas num período de dois a quatro dias nos quais as lições foram observadas com o enfoque de verificar s como o vídeo digital estava sendo utilizado para reforçar a aprendizagem. Quanto ao referencial literário nacional é importante destacar Silva (2000, p. 217) com reflexões em torno da sala de aula interativa e quando faz uma análise sobre as confusas formas de se utilizar o computador numa concepção de reprodução do ensino enciclopédico que dá lugar a centralidade do professor diz ele “Torno a repetir: a autoria do professor é mais do que nunca solicitada. Encarar o novo espectador, o “homem aleatório”, garantindo na sala de aula, democracia, interatividade e tolerância. “Assim ele promove a aprendizagem, assim ele educa em nosso tempo” e Freire (1996, p. 88) afirmando que “um dos saberes necessários à prática educativa é o que adverte da necessária promoção da curiosidade espontânea para a curiosidade epistemológica;

O que se vem procurando afirmar na literatura e na experiência até aqui construída é que no cenário escolar integrado com vivências em multimídia, estas geram:


1. à dinamização e ampliação das habilidades cognitivas, devido à riqueza de objetos e sujeitos com os quais permitem interagir;

2. à possibilidade de extensão da memória e de atuação em rede;

3. ocorre a democratização de espaços e ferramentas, pois estas facilitam o compartilhamento de saberes, a vivência colaborativa, a autoria, co-autoria, edição e a publicação de informações, mensagens, obras e produções culturais tanto de docentes como discentes.


É o que Moran (1995, p.27) afirma quando expressa que “o vídeo é sensorial, visual, linguagem falada, linguagem musical e escrita. Linguagens que interagem superpostas, interligadas, somadas, não separadas. Daí a sua força.” .


Acrescenta-se que as teorias e práticas associadas à informática na educação vêm repercutindo em nível mundial, justamente porque as ferramentas e mídias digitais oferecem à didática, objetos, espaços e instrumentos capazes de renovar as situações de interação, expressão, criação, comunicação, informação, e colaboração, tornando-a muito diferente daquela tradicionalmente fundamentada na escrita e nos meios impressos. Encontra-se nesta perspectiva, a possibilidade para que professores da Educação Básica e de outros mais variados níveis de ensino, possam rever concepções de sustentação de suas práticas cotidianas, terem acesso e apropriem-se de conhecimentos necessários para trabalharem com a produção de vídeos digitais na sala de aula nas diversas disciplinas, temas transversais e outras situações temáticas imbricadas nas várias ciências e necessidades de adensamento de aprendizagem e possam apropriar de ferramentas como o Movie Maker neste processo de agregação.


Moran, José M. “ O vídeo na sala de aula”. In: Comunicação& Educação. São Paulo: USP/MODERNA, (2): 27-35, jan./abr., 1995, p. 27ss.




domingo, 2 de agosto de 2009

Novidades do LivroClip -Coleção QUIZ -coleção crianças famosas




Muito bacana gente. Sabem Aquele portal Livro Clip que indico sempre para o planejamento das professoras e professores que consideram a leitura tudo de bom é o LIVRO QUIZ Coleção crianças famosas e estas crianças são nada mais nada menos que : 1.Cecília Meirelles 2- Villa Lobos 3- Portinari 4- Beethoven 5- Leonardo da Vinci . Clique então e conheça 5 segredos destas crianças que tanta cultura, vida e legados expressaram. vejam heim? http://www.livroclip.com.br/index.php?acao=hotsite&cod=192

Palestra na I Semana Pedagógica do CTCC


No dia 31 de julho proferi palestra sobre o tema : Tecnologias digitais e a formação das pessoas e educadores no CTCC- CENTRO DE TECNOLOGIA DO COURO E DO CALÇADO ALBANO FRANCO – NÚCLEO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL. Fui convidada pela orientadora Irisnaque que me recebeu juntamente com todos os educadores e diração do CTCC com muita cordialidade . Participar da I JORNADA PEDAGÓGICA "Refletindo a Prática, Reconstruindo Saberes! Você sabe onde o conhecimento pode levar VOCÊ?" foi poder conferir de perto o interesse de todos nesta concetuada instituição de educação profissional pelos saberes advindos com as mediações hoje provenientes do campo das tecnologias digitais da informação e da comunicação em sua inserção nas práticas pedagógicas de todos os cursos e níveis quando devidamente apropriadas pelos principais protagonistas do processo de ensino e aprendizagem OS DOCENTES.



Muito bom - Espaço de Formação Global



Sempre indico para meus alunos da graduação e pós graduação o portal EDUCAREDE. Inclusive gosto muito do espaço O Portal EducaRede ArgentinaArgentina que oferece cursos on line para brasileiros. Então, estão abertas as inscrições para cursos on line voltados à formação de educadores. Os cursos são oferecidos apenas em espanhol, mas a participação dos educadores brasileiros poderá ser em português. As inscrições são totalmente gratuitas!

SBIE 2010

ENTRE EM CONTATO...

Apresentação de Augusto Franco no Nodo PB dia 12.09.09 em Campina Grande

CHAT : Educar na Era Digital

TRECHO DE TEXTO DE PAULO FREIRE

"De nada serve, a não ser para irritar o educando e desmoralizar o discurso hipócrita do educador, falar em democracia e liberdade mas impor ao educando a vontade arrogante do mestre" ( FREIRE, Paulo. Professora sim, Tia não, 1995)

Que tal Ler ??? INDICO PARA VOCÊ

Indico este livro que foi traduzido para o Português:

Homo Zappiens: educando na era digital/Wim Veen, Ben Vrakking: tradução Vinicius Figueira. - Porto Alegre: Artmed, 2009. 141 p.

Educar é um compromisso social

Educar é um compromisso social
Simpósio Integrador-Semana CEDUC/UEPB

Filmes Imperdíveis

  • A sociedade dos Poetas Mortos
  • Desafiando Gigantes
  • O Clube do Imperador
  • O ilusionista
  • O mundo dos insetos
  • O sorriso de Monalisa
  • O triunfo
  • Orquestra dos Meninos
  • Ponto de Decisão
  • Prova de Fogo
  • Quase Deuses
Ocorreu um erro neste gadget

Maior Cajueiro do Mundo no Rio Grande do Norte

Maior Cajueiro do Mundo no Rio Grande do Norte
Localiza-se na praia Pirangi com área de 100 por 80 metros, produção de 70.000 cajus por ano, bem doces e já tem 115 anos. Minha foto predileta de setembro

Foto tirada por mim em 19.07.09

Foto tirada por mim em 19.07.09
É mais importante construir o ninho ou ensinar uma andorinha a voar?

Meu Cenário : UEPB Universidade Estadual da Paraíba

Meu Cenário : UEPB Universidade Estadual da Paraíba
Centro onde atuo no curso de Licenciatura em Computação