Neste espaço colaborativo e de distribuição de conhecimento sua presença é fundamental. Aqui compartilho com você estudos, informações, crenças e busco somar esforços com todos e todas que concebem com responsabilidade a desafiante tarefa de educar na sociedade atual

terça-feira, 6 de julho de 2010

Quatro notícias do Estadão sobre o resultado do IDEB


Avaliação mostra estagnação do ensino médio no Brasil, com nota 3,6:

Eles não sabem que metade é 50% nem identificar a ideia principal de um texto. O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2009, divulgado ontem, mostra que os alunos do ensino médio estão estagnados no desconhecimento. Na média, numa escala que vai de 0 a 10, os estudantes tiraram 3,6 - nota apenas 0,1 maior do que a alcançada na edição anterior, de 2007.

Alunos do fundamental não compreendem gráficos:

Com a média obtida nos anos iniciais,alunos não conseguem:
Reconhecer diferenças no tratamento dado ao mesmo tema em textos distintos; Ler gráficos de setores; Resolver problemas envolvendo mais de uma operação.

Com a média obtida nos anos finais, alunos não conseguem:
Somar e subtrair usando parênteses e colchetes; Identificar a intenção do autor numa história em quadrinhos; Identificar as relações de causa e consequência implícitas no texto.

Com a média obtida no ensino médio, alunos não conseguem:
Reconhecer o efeito de sentido do uso de recursos ortográficos, como sufixo diminutivo; Resolver problemas de multiplicação e divisão, em situação combinatória, e de soma e subtração de números racionais.

Ensino médio fraco pode prejudicar economia:

Especialistas em educação ouvidos pelo Estado afirmam que o principal impacto do gargalo do ensino médio pode ser medido, a longo prazo, no mercado de trabalho, que pode sofrer com escassez de mão de obra de qualidade e profissionais mal preparados. "A qualidade do aprendizado se reflete na produtividade. Aprender pouco significa produzir pouco. Isso pode prejudicar a competitividade do Brasil com países que têm o ensino mais forte", afirma Naercio Menezes, economista da educação do Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper), antigo Ibmec.

'Não há docentes em número nem em qualidade no País':

Decompondo o Ideb em seus dois vetores, no fundamental se observa que o peso do desempenho escolar cresceu, com relação ao da aprovação ? o que mostra que a aprendizagem está fortemente influenciando o indicador. Mas no médio o caminho foi inverso: o fluxo ganhou impacto no aumento do índice.

Nessa etapa ocorre uma diversificação da oferta de disciplinas, mas o País não tem docentes em número e em qualidade. Dos professores que hoje ensinam física e química, somente 25% e 38% foram formados nestas matérias. Portanto, o ensino médio se coloca como grande desafio para os próximos governadores. E cabe ainda esperar a divulgação completa dos dados, para verificar se esse crescimento no Ideb se deu de maneira homogênea pelos Estados ou se foi puxado por aqueles que tinham as médias mais baixas. Isso evidenciará se a qualidade da educação segue o rumo da equidade.

SBIE 2010

ENTRE EM CONTATO...

Apresentação de Augusto Franco no Nodo PB dia 12.09.09 em Campina Grande

CHAT : Educar na Era Digital

TRECHO DE TEXTO DE PAULO FREIRE

"De nada serve, a não ser para irritar o educando e desmoralizar o discurso hipócrita do educador, falar em democracia e liberdade mas impor ao educando a vontade arrogante do mestre" ( FREIRE, Paulo. Professora sim, Tia não, 1995)

Que tal Ler ??? INDICO PARA VOCÊ

Indico este livro que foi traduzido para o Português:

Homo Zappiens: educando na era digital/Wim Veen, Ben Vrakking: tradução Vinicius Figueira. - Porto Alegre: Artmed, 2009. 141 p.

Educar é um compromisso social

Educar é um compromisso social
Simpósio Integrador-Semana CEDUC/UEPB

Filmes Imperdíveis

  • A sociedade dos Poetas Mortos
  • Desafiando Gigantes
  • O Clube do Imperador
  • O ilusionista
  • O mundo dos insetos
  • O sorriso de Monalisa
  • O triunfo
  • Orquestra dos Meninos
  • Ponto de Decisão
  • Prova de Fogo
  • Quase Deuses
Ocorreu um erro neste gadget

Maior Cajueiro do Mundo no Rio Grande do Norte

Maior Cajueiro do Mundo no Rio Grande do Norte
Localiza-se na praia Pirangi com área de 100 por 80 metros, produção de 70.000 cajus por ano, bem doces e já tem 115 anos. Minha foto predileta de setembro

Foto tirada por mim em 19.07.09

Foto tirada por mim em 19.07.09
É mais importante construir o ninho ou ensinar uma andorinha a voar?

Meu Cenário : UEPB Universidade Estadual da Paraíba

Meu Cenário : UEPB Universidade Estadual da Paraíba
Centro onde atuo no curso de Licenciatura em Computação